Piadas

Um advogado almofadinha, de Cascais, vai caçar patos no Alentejo. Dá um tiro, acerta num pato, mas o bicho cai no terreno de um lavrador. Enquanto o advogado saltava a cerca, o lavrador chega no seu trator e pergunta-lhe o que raio ele estava fazendo ali. O advogado respondeu:
- Acabei de matar um pato, mas ele caiu na sua terra e eu agora ia buscar o dito cujo.
O velhote responde:
- Esta propriedade é privada, por isso não pode entrar.
O advogado, indignado:

- Olhe que eu sou um dos melhores advogados de Portugal! Se não me deixar ir buscar o pato, eu processo-o e fico-lhe com tudo o que tem!

O lavrador sorriu e disse:

- Cale-se homem, vê-se logo que o senhor não sabe como funcionam as coisas aqui no Alentejo. Nós aqui temos o código Napoleónico! Resolvemos estes problemas com a regra dos três pontapés! Primeiro eu dou-lhe três pontapés; depois você dá-me dois pontapés; e assim sucessivamente até um de nós desistir!

Como o advogado já estava bastante irritado, olhou para o velhote e pensou que seria fácil dar-lhe uma carga de porrada. Por isso, aceitou resolver as coisas segundo o tal costume local.
Muito lentamente o velho saiu do trator e deu-lhe um biqueiro que acertou diretamente nas bolas do advogado, que caiu de joelhos desamparado. O segundo pontapé, quase lhe arrancou o nariz. Quando o advogado caiu de cara no chão, levou o último pontapé nos rins, que o fez quase perder os sentidos.
Contudo o sentimento vingativo do advogado falou mais forte. Não desistiu, levantou-se, todo ensangüentado e disse:

- Espera aí, velhote! Agora é a minha vez!

O lavrador sorriu e disse:

- Não... Eu desisto. Leve lá o pato.