Desenhos - Turma do Outro Bairro

Na série de desenhos, conheça a Turma do Outro Bairro!

Reprodução automática

Comentários

Autor: Anônimo - Brasília - DF

Escrevo pedindo uma opinião matrimonial, se você se dispor.
Quando eu era criança eu era alheio a tudo e era muito feliz.
Mas quando eu cresci, percebi que o comodismo não me preparou para a vida direito e que sem o dinheiro dos meus pais a vida se tornou uma violência cotidiana. Então comecei minha luta.
Minha esposa age como eu agia, ela é alheia aos fatos e às contas e eu a sustento há cerca de 13 anos.
Só que eu sempre esperei ela entrar no mercado de trabalho e me ajudar nesse luta. E isso nunca acontecia.
Hoje, percebo que para manter meu relacionamento já paguei o equivalente a um apartamento mas, por outro lado, não consigo ter minha casa própria que tanto sonho.
Minha esposa não quer entender as coisas, ela posta essas coisas no Facebook de que "devemos se abrir só as coisas boas da vida" etc., então ela se bloqueia a certas coisas e não se sente responsável pelas nossas dificuldades financeiras.
Ela diz que a culpa é que eu reclamo demais. E isso me chateia. Enquanto eu tenho prosperado profissionalmente, não vejo a cor do meu dinheiro em função das contas e sinto que minhas esposa ficou para trás e que hoje é praticamente um peso na minha vida.
Mas eu não quero que seja assim, quero tê-la como minha companheira. Só que acho que ela tem que me acompanhar no topo e não eu acompanhar ela na retaguarda.
E eu não sei como tocar nesse assunto sem que ela não se irrite. Ela acha que minhas cobranças são um problema na vida dela, quando na realidade eu acho o contrário. E que as coisas surgem na vida dela porque ela acredita em Deus. Quer dizer: eu sou o Deus na vida dela. rs.
E ela acha que eu sou um chato que passou a exigir que ela trabalhe. A velha história de que quem estende a mão, quando tira é criticado.
Assim meu casamento foi perdendo o sentido.
Se eu me separar, vem a pior parte: além dos gastos que eu já tive para manter meu casamento, também temos comunhão total, ou seja, ela ainda vai levar metade da minha luta. Me sinto numa roubada.
O que eu faço?

Você pode fazer qualquer coisa, mas que não seja pensando na divisão patrimonial. Sua paz e seu futuro são muito mais importantes. Aliás, você disse que sequer tem casa própria, o que me lembra a piada (um tanto quanto preconceituosa) que diz: "Não entendo pobre. Diz que não tem nada, mas aí vem a enchente e ele diz que perdeu tudo".
O meu ponto é: melhor dividir o pouco que você tem do que continuar privado dos seus sonhos por causa de uma mulher que você considera uma verdadeira parasita.
Sim, porque não vi uma única gota de amor em nada do que você me escreveu. Quando a gente ama, respeita. E quer a pessoa amada do nosso lado, independentemente da contribuição dela pro orçamento familiar.
Não tô te tirando a razão: mas cuidado com o que você pede. E se ela for pro mercado de trabalho, se realizar e entender que você não é a última bolacha do pacote?
Mauricio Ricardo

Serra e a Lava Jato

Autor: Fabio Eduardo Jarina - Goiânia - GO

Ótimos comentários (em vídeo), concordo em tudo. Mas Serra não está sob a jurisdição de Moro, pois tem foro privilegiado.

Eu não mandei o Moro prender o Serra. O que estranho, e na melhor das boas intenções, é o fato de que ele e os demais tucanos não tem a mesma exposição quando a força tarefa da Lava Jato pega um podre.
É fato, gente. Pra coxinhas e mortadelas.
Quantos ministros foram denunciados e, em meio ao escândalo, perderam seus cargos? Quantos doleiros, dirigentes partidários e outros cúmplices de quem tem foro privilegiado não se encontram, hoje, atrás das grades?
Cadê a gangue do PSDB?
Seria muito bom pro Brasil se o rodo tirasse a lama dos cantinhos, não só de um pedaço da sala, se é que você me entende.
Mauricio Ricardo

De bronca

Autor: Erivaldo - João Pessoa - PB

Os dois poderes, Legislativo e Executivo, sempre andaram de mãos dadas, um cobrindo a sujeira do outro. Depois da operação Lava Jato, o amor acabou e a cumplicidade também. Agora estão em guerra, cada um saindo em defesa dos seus próprios interesses. Juízes não querem ser punidos e políticos não querem ser presos. E o povo sendo manipulados ora para um lado, ora para o outro!!
Abraços !!!

Quando cão começa a comer cão é bom sinal: já está ficando um pouco mais difícil assaltar a cozinha.
Mauricio Ricardo

Nem tudo piorou

Autor: Carolina Barbosa Camilo - Olinda - PE

Já que você tá republicando charges, com algumas alterações, bem que você poderia dar uma repaginada naquela charge do Mutuário cantando "dormi na praça"...sempre amei daquela charge, mas ficaria mais legal se tivesse algumas imagens ilustrando o ocorrido.

Outra coisa...você prometeu que teria "Só Levando" ainda esse ano. Desistiu?

Ah, justiça seja feita: a realidade dos mutuários da Caixa mudou muito. Antes, na época da charge, os saldos devedores eram impagáveis. Eu mesmo perdi um imóvel porque não conseguia quitar e, ao vender o ágio, a transferência tornava-se inviável, gerando os famigerados "contratos de gaveta".
Hoje sou mutuário de novo, mas agora o saldo devedor não cresce mais.
Mauricio Ricardo